Você sabe como moram os maiores nomes da arquitetura contemporânea?

Bijoy_Jain_1

Eles marcam presença nas principais metrópoles mundiais. Em centros empresariais, conjuntos residenciais, projetos esportivos ou espaços culturais, os traços desses profissionais são inconfundíveis e causam admiração global.Os arquitetos Shigeru Ban, Mario Bellini, David Chipperfield, Massimiliano e Doriana Fuksas, Zaha Hadid, Marcio Kogan, Daniel Libeskind e Bijoy Jain abriram as portas de suas respectivas casas para Francesca Molteni e Davide Pizzigoni mostrarem se a vida realmente imita a arte.

O Salão do Móvel de Milão de 2014 trouxe ao mundo a intimidade, a organização e a sutileza desses oito profissionais no documentário “Onde Vivem os Arquitetos”. Acerca da curiosidade de seus admiradores, Francesca reuniu uma série de depoimentos sobre seus hábitos de viver e trabalhar, gostos, manias e obsessões. O resultado foi surpreendente!

Bijoy Jain
De longe, ninguém diria que é a casa de um arquiteto, muito menos de Bijoy Jain, o indiano que comanda um dos maiores escritórios de arquitetura da Ásia, o Studio Mumbai. Após muitos anos morando nos Estados Unidos, Jain voltou a sua terra natal, onde construiu uma vila onde vive, trabalha e compartilha esse paraíso com mais 60 artesãos.

  Bijoy_Jain_2 Bijoy_Jain_1

Bijoy_Jain_3

Daniel Libeskind
Vencedor do concurso que elegeu o arquiteto que projetaria o novo World Trade Center –, Daniel Libeskind fez seu refúgio no centro da incansável Nova Iorque. É com essa palavra “refúgio” que Francesca define a residência de Libeskind: “Relativamente escasso, o apartamento bem iluminado conta com algumas cadeiras de Le Corbusier, uma mesa de café, mesa de trabalho e muitos, muitos livros”.

Daniel_Libeskind_1

Daniel_Libeskind_2    Daniel_Libeskind_3

David Chipperfield
Apesar de inglês, David mora em Berlim e construiu uma casa para lá de italiana. Depois de ser convidado para restaurar e reconstruir o Neues Museum – reinaugurado em 2009 – consolidou-se no distrito de Mitte. O prédio de concreto e com amplas janelas compila em três pavimentos sua casa repleta de móveis italianos, seu ateliê e uma cantina que serve de ponto de encontro para os moradores locais.

David_Chipperfield_1       David_Chipperfield_2

Marcio Kogan – (Veja também na Galeria da Arquitetura )


A geometria e amplitude dos projetos do brasileiro e diretor do Studio MK27, Marcio Kogan, refletem na jovialidade e tradição de seu apartamento. Localizado no décimo segundo andar de um edifício – projetado por ele mesmo aos 27 anos de idade –, no bairro de Itaim Bibi, em São Paulo, o local abriga uma porção de excentricidades, como um piano de cauda multiúso e estantes repletas de brinquedos, bijuterias e outras inspirações.

 

Marcio_Kogan_1

Marcio_Kogan_2

 

 

Mario Bellini


A casa do arquiteto e design milanês comprova que quem trabalha com arte traz milhares de referências consigo. No caso de Bellini são realmente milhares, isso porque a principal “atração” de sua casa, localizada em Milão, é uma estante de livros de 9 metros que ele diz servir de inspiração. Construída no século 19 e reformada por Piero Portaluppi, a casa traz um contraste contínuo do antigo com o atual através de murais abstratos e coloridos ao lado de muitos objetos de época.

 

Mario_Bellini_1

Mario_Bellini_2

Mario_Bellini_3

 

Massimiliano e Doriana Fuksas

Nascidos em Roma, os arquitetos Massimiliano e Doriana escolheram o famoso espaço residencial Place des Vosges, em Paris, para viver. No apartamento onde a palavra de ordem é elegância, destacam-se mobílias e alguns objetos de decoração do renomado design e arquiteto Jean Prouvé e obras de arte de Lucio Fontana e Mimmo Paladino. Com luminosidade abundante, o estilo minimalista também remete a um refúgio familiar.

Massimiliano_ e_Doriana Fuksas_1

Massimiliano_ e_Doriana Fuksas_2

 

Shigeru Ban

Prêmio Pritzker 2014, o japonês Shigeru Ban é a cara da arquitetura contemporânea. Famoso pelo uso inteligente de papelão em suas obras, seu foco principal é sempre a integração do design com a natureza. Na sua casa, construída na floresta Hanagi, no Japão, seu principal desafio foi “derrubar uma só arvore do bosque” para que o lugar fosse totalmente integrado aos elementos naturais ao redor. Com cortes ovais, a residência recebe generosas quantidades de luz natural além de pouquíssimos objetos. Como Francesca define, é “residência de um monge zen”.

Shigeru_Ban_1

Shigeru_Ban_2

 

Zaha Hadid


Não poderia faltar um dos maiores símbolos femininos na arquitetura, Zaha Hadid. Seu loft, em Londres, possui muitos elementos idênticos a suas criações. Amplo, claro e com objetos decorativos curvilíneos, o local abrange diversas fases da carreira icônica da iraquiana e obras de El Lissitzky e Malevich.

Zaha_Hadid_1

Zaha_Hadid_2

Crédito/fonte da foto: Globo
Fonte do post: ExameGlobo e Casa Mix